quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

Líder do PT agora defende a CPI da Privataria Tucana

 
Do Viomundo - publicado em 12 de dezembro de 2012 às 20:18



O livro e o autor (foto LCA)

 

Tatto defende CPI da Privataria e cobra explicações de FHC sobre lista de Furnas
Qua, 12 de Dezembro de 2012 12:53

do site PT na Câmara

O líder do PT na Câmara, Jilmar Tatto (SP), conseguiu aprovar hoje (12), na Comissão Mista de Controle das Atividades de Inteligência, requerimento em que o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso é convidado a dar explicações sobre a chamada “Lista de Furnas”, esquema criado por tucanos em Minas Gerais para financiar campanhas políticas com “caixa dois” às custas da empresa estatal.

“O depoimento de FHC é fundamental, já que ele tem expertise na área e deve explicar como se deu o envolvimento dele e de seus auxiliares com o esquema”, disse o líder. A justificativa envolve o esclarecimento de “informações contraditórias sobre documento relativo a doações a agentes políticos que teriam sido levadas a efeito por Furnas”.

Na mesma sessão da comissão foi aprovado convite para que o Procurador-Geral da República, Roberto Gurgel, também preste depoimento. O requerimento a respeito de Gurgel é de autoria do presidente do colegiado, senador Fernando Collor (PTB-AL). O objetivo é obter de Gurgel explicações sobre como se dá a relação entre o MPF e os órgãos de inteligência do Estado.

O líder Jilmar Tatto também defendeu hoje a instalação imediata da CPI da Privataria, cujas assinaturas já foram coletadas pelo deputado Protógenes Queiroz (PCdoB-SP). O líder vai tratar deste tema hoje, com o presidente da Câmara, Marco Maia (PT-RS), de quem depende a decisão de instalar a CPI.

O pedido de abertura da CPI baseia-se no livro “A Privataria Tucana”, do jornalista Amaury Ribeiro Jr. A obra, resultado de 12 anos de investigação sobre o processo de privatizações das empresas estatais no Brasil, destaca documentos que apresentam indícios e evidências de irregularidades nas privatizações que ocorreram durante a administração do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, do PSDB, além de amigos e parentes de seu companheiro de partido, José Serra.

Os documentos procuram demonstrar que estes políticos e pessoas ligadas a eles realizaram, entre 1993 e 2003,movimentos de milhões de dólares, lavagem de dinheiro através de offshores – empresas de fachada que operam em Paraísos Fiscais – no Caribe.

Equipe PT na Câmara


Leia também:

Leandro Fortes: Chame o ladrão
PT diz ser alvo de “setores que perderam privilégios”
Paulo Moreira Leite: As marchadeiras do retrocesso
Emir Sader: Sob o poder de três ditaduras
Conceição Tavares: Economist no palanque de Aécio
Marco Maia: Câmara pode não cumprir decisão do STF
Milhares de argentinos vão à Praça de Maio defender a Ley de Medios
Rafael Correa: Dois pesos, duas medidas da mídia
Safatle: “Obrigado, Niemeyer. Suas ideias ajudaram a moldar vidas”
Lewandowski: Compete ao Legislativo e não ao STF declarar perda de mandato
Marcelo Justo: Economist não pediu cabeça de Osborne
Altamiro Borges: A artilharia se volta contra Dilma
Marco Maia: Sobre a cassação de mandatos pelo STF

Nenhum comentário: